Pular para o conteúdo principal

Debate da Band

Quem foi melhor? Bem, é natural que cada eleitor que já decidiu seu voto ache que seu candidato foi melhor e eu não saiu desta regra.
Faltou Lula falar sobre o ProUni, um dos melhores programas do seu governo, mas respondeu as perguntas que lhe foram feitas com exceção de uma: "De onde veio o dinheiro para comprar o dossiê?". Não respondeu porque não sabe a resposta, mas foi contundente ao dizer que não quer saber só de onde veio o dinheiro, mas a história completa da "operação tabajara" e o conteúdo do dossiê. Não deveria ter perdido a paciência no 2º blog como acabou fazendo, mas mesmo assim foi melhor.
A novidade do debate foi a estréia do estilo chuchu apimentado de Alckmin. Em alguns momentos deixou a firmeza virar agressividade. Isto não é bom. Ele está saindo do estilo que lhe consagrou até agora e faz com que ele, desde já, saia vencedor do processo eleitoral. Mesmo se perder, levar a disputa para o 2º turno já foi um conquista para ele.
A discussão de escândalos e acusações não serve a Alckmin. Nem o mensalão, que o povo acredita que aconteceu, está fazendo Lula perder voto imagina essa história de dossiê. O chuchu tem que tirar votos do presidente e para isso não pode ficar dizendo que eles são bem diferentes. Se ficar limitado a seduzir os que votaram em Heloísa Helena, Cristovam Buarque e afins ele terá de conquistar mais de 85% destes votos.
A discursão sobre segurança foi ótima. Geraldo falou, falou, falou e Lula respondeu: "Você acha que alguém acredita nisso?". Os ataques do PCC em São Paulo ficaram muito mais marcados do que os índices ditos pelo ex-governador. Diga o que disser Alckmin não vai convencer o eleitor no assunto segunrança.
Outro momento memorável foi a observação que Lula fez sobre a ausência de FHC. Olhou para onde estava os PSDBistas na platéia e disse: "Engraçado, vocês não trouxeram o Fernando Henrique hoje aqui. Por que? Vergonha?". Colar a imagem de Alckmin a do ex-presidente é uma boa estratégia observada a rejeição que o povo tem a FHC.
Ninguém ganhou votos com esse debate, mas ele serviu como marco para o começo da disputa no 2º turno e para mostrar qual será o tom da disputa nesta reta final.

OBS: Todo mundo comentou o debate como se fosse uma luta de boxe. "Alckmin foi ao ringue..." "Alckmin podia ter fustigado com jabs de direita" "Lula ganhou dois rounds". Que bando de alusões ultrapassadas.

OBS2: Dois trechos do Blog do Noblat sobre o debate:
"Quer dizer, o eleitor de cada candidato acha que o seu foi melhor do que o outro."
"minha sensação é a de que Alckmin se saiu melhor do que Lula"
E ele insiste que não está apoiando ninguém neste 2º turno. Tá certo então...

Comentários

Daniel Goulart disse…
Jogo de cena

Estou cada vez mais convencido da inutilidade dos debates nos formatos atuais. Vale a palavra mais dura, a gracinha mais agressiva e por aí vai, ou melhor, não vai. Vi ontem um jogo de números e frases produzidas por marketeiros. Muitas palavras e pouco conteúdo. É inútil para mim mas pode encantar quem considera emocionante.
dnd disse…
po o Lula foi otimo, diferente do alckmin q passou o programa com seus ataques pessoas i poucas propostar foram discutidas, apesar do alckmin ter falado alto i pah ele mostro que ainda tem um longo caminho pela frente i nao ta pronto praser o presidente do Brasil. A band tbm vo ti fala paga pau do alckmin.

;D
Luiz Eduardo disse…
É verdade. Estána hora de se discutir mudanças no formato dos debates.

E como a Band defende o Alckmin. Não deram o direito de defesa no pedido do Lula quando ele foi chamado de mentiroso. Parece que isso não é ofensa né?!
erikasayanne disse…
Muito bom seu blog querido. Arrebentou!!!!!!!!! Mil beijinhos. LULA pelos pobres e para os pobres.

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…

Top 20 prefeituráveis de 2020

Com metade do mandato do prefeito Magno Bacelar superado as articulações para a sua sucessão devem começar a esquentar e o Blog do Braga traz a lista com os 20 nomes mais cogitados para enfrentar a disputa municipal de 2020.
É possível que outros nomes sejam discutidos até as convenções do ano que e o mais provável é que três ou quatro sejam registrados pelos partidos políticos, mas os nomes mais especulados nas rodas de conversa da cidade e pelo grupos políticos locais até aqui são os seguintes:
Magno Bacelar: Apesar das três condenações com trânsito em julgado no Tribunal de Contas da União (TCU), não dá para deixar de considerar o nome do prefeito que está no cargo, principalmente considerando sua capacidade de se livrar de problemas jurídicos. Dificilmente conseguirá desfazer o atual desgaste do seu governo, mas tem a marca de ter sido o único prefeito reeleito de Chapadinha, em 2004.
Danubia Carneiro: Primeira-dama, ex-prefeita e secretária de Assistência Social. Parece mais inter…