Pular para o conteúdo principal

A polêmica da privatização petista

Ontem ocorreu em São Paulo o leilão para a concessão de trechos de rodovias federais de seis estados. Este fato pode ser interpretado de duas maneiras: Primeiro, que o governo do PT rasgou o discurso e resolveu ressucitar a "privataria". Lula é igualzinho ao FHC, não bastasse herdar e continuar a politica econômica, agora também privatiza. É o início do Estado mínimo de esquerda no Brasil.

Por outro lado, e é neste que eu acredito, podemos entender o leilão de ontem de maneira diferente da venda dos ativos das estatais que ocorreu no governo FHC. Não vejo no governo Lula o viés ideológico neo liberal que moveu as privatizações tucanas. Em nenhum momento há a intenção do Estado abdicar do seu papel de indutor do crescimento e do desenvolvimento do país. A participação da iniciativa privada em setores da economia não pode, e nem deve, anular a ação do governo, pois em qualquer economia dinâmica há a parceria entre o capital privado e as políticas estatais. Assim é também o espírito do PAC, por exemplo.

Não bastasse essa diferença, se analisarmos apenas a concessão em si, a opção pelo leilão reverso e modicidade tarifária já valeriam a pena. O governo federal não queria com o leilão somente arrecadar recursos para o Estado, mas sim garantir serviços adequados a preço justo aos usuários. Fora o fato de que abrimos as discussões sobre os absurdos pedágios cobrados por determinadas concessionárias no país. O leilão foi considerado um sucesso apesar da descrença de alguns "entendidos formadores de opinião" de que o modelo de leilão proposto pelo governo estaria fadado ao fracasso pois nenhuma concessionária estaria disposta a cobrar um pedágio tão "pequeno". Tanto elas estavam, como o deságio médio foi de 45%.

Portanto, acredito que seja positiva a "polêmica" levantada. Ao contrário do que muitos dizem, que os dois partidos são iguais, eu me permito afirmar que ontem eles ressaltaram suas diferenças.


Patrícia Vasconcellos,
mestre em economia pela Universidade Federal Fluminense

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…

Mais um empresário se prepara para disputar a Prefeitura

Está difícil manter a contagem de quantos pré-candidatos ao cargo de prefeito de Chapadinha já estão no páreo. Hoje pela manhã foi a vez do empresário Nenezão se filiar ao Partido dos Trabalhadores (PT) se colocando a disposição da legenda para a disputa.
A informação é do presidente do Diretório Municipal, o ex-vereador Manim Lopes, que acredita que uma candidatura própria é o melhor caminho para o partido voltar a ter representatividade local.