Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

Sobre a coerência da oposição

O deputado federal José Carlos Aleluia (PFL-BA) declarou na edição 1979 da revista Veja, do dia 25 de outubro de 2006, o seguinte: "A vitória dos aliados de Lula no Nordeste é a vitória do coronelismo da era digital. O cartão do Bolsa Família é a institucionalização da compra de votos".

Este ano, num ato no interior da Bahia, Aleluia "mudou um pouco o tom": “Queremos dar continuidade ao Bolsa Família, mas melhorando a vida das famílias”, anunciou.

Ou eles querem dar continuidade à "compra de votos institucionalizada" ou eles falam qualquer coisa pra tentar ganhar a eleição.

Sobre o tal caseiro

Correio Braziliense, 02/03/2008, matéria "Caseiro cobra promessa da oposição":

"Dois anos depois de ser o pivô da queda de Antonio Palocci do Ministério da Fazenda, o caseiro Francenildo dos Santos Costa tem o que cobrar. Diz que muitas pessoas, inclusive senadores da oposição, prometeram lhe ajudar com um emprego após o escândalo que derrubou o ministro. Até hoje, ninguém apareceu.

Francenildo, 25 anos, está desempregado. Mora numa casa simples em São Sebastião, no Distrito Federal, com a mulher e um filho de oito anos. Faz bicos de jardinagem em algumas casas do Lago Sul. Cobra R$ 60 por dia de trabalho. E não esquece das promessas feitas em 2006. “Alguns diziam: ‘Quando a poeira baixar, vou te ajudar’. Hoje ninguém liga mais"."

A enquete

Enquete na internet são meios nada confiáveis de medir a opinião popular, portanto eu nem ia comentar a tal enquete do Uol. 
A pergunta da enquete é a seguinte: "Na sua opinião, qual é o partido político mais sério do Brasil?"
O Blog Democrata, do ex-PFL, pediu para seus visitantes escolherem o partido na pesquisa, mas quando você entra no saite vê que a opinião "DEM" teve apenas 2,1% dos votos.
Quem lidera até agora? O PT, com 44,93% dos votos. Não há vestígio de nenhuma referência à enquete no saite do PT.

Everardo: Casos Petrobras e Dilma/Lina "são farsa"

Reprosuzo na íntegra texto e entrevista do saite Terra Magazine, comandado por Bob Fernandes, com o ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel:


"O pernambucano Everardo Maciel mora há 34 anos em Brasília. Foi secretário executivo em 4 ministérios: Fazenda, Educação, Interior e Casa Civil, e foi Secretário da Fazenda no Distrito Federal. Everardo é hoje consultor do FMI, da ONU, integra 10 conselhos superiores, entre eles os da FIESP, Federação do Comércio e Associação Comercial de São Paulo e é do Conselho Consultivo do Conselho Nacional de Justiça. Mas, nestes tempos futebolísticos, às vésperas de 2010, com tudo o que está no ar e nas manchetes e, em especial, diante do que afirma Everardo Maciel na entrevista que se segue, é importantíssimo ressaltar que ele foi, por longos 8 anos, "O" Secretário da Receita Federal dos governos Fernando Henrique Cardoso.*Dito isso, vamos ao que, sem meias palavras, afirma Everardo Maciel sobre os rumorosíssimos casos da dita &q…

Suplicy para vice de Marina, por que não?

O senador Eduardo Suplicy vai sair do PT mais cedo ou mais tarde e isto está claro desde 2002, quando ele insistiu em disputar prévias contra Lula e tentou ser o candidato do partido à presidência da República.

Portanto, quando isto acontecer não me venham dizer que o PT está na maior crise da sua história, que vai rachar e que o José Serra vai ser eleito presidente.

Se Suplicy correr ainda dá tempo de sair do PT agora, se filiar no PSol e ser vice na chapa de Marina Silva à presidência da República, por que não?

Zé Eduardo para presidente

Ocorreu ontem o lançamento do ex-senador e ex-presidente da Petrobrás José Eduardo Dutra como candidato a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores.

Dutra concorrerá com o apoio dos campos "Construindo Um Novo Brasil", "Partido de Luta e de Massas (PTLM)", "Novos Rumos", "Democracia Radical" e outras tendência regionais.

Outros candidatos compareceram ao ato para demonstrar a unidade do partido. Os deputados José Eduardo Cardoso, que concorre com o apoio da "Mensagem ao Partido", Iriny Lopes, da "Articulação de Esquerda" e Geraldo Magela, do "Movimento PT". Este último, em discurso, defendeu que o Processo de Eleições Diretas (PED) seja adiantado em 30 dias para que o substituto de Ricardo Berzoini comece a trabalhar o quanto antes.

Durante o ato, dois cumprimentos foram destaque. O primeiro foi o do ministro Patrus Ananias, que se levantou e foi até o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel quanto este …

Lina Vieira, a falsa musa da oposição (2)

A ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira , como se sabe, fez carreira no Rio Grande do Norte, onde foi do primeiro escalão do primeiro governo Garibaldi Alves Filho (1995-1998).
Naquela época José Agripino era ferrenho adversário de Garibaldi (veja aqui). Rivalidade de duas oligarquias, os Maia e os Alves.
Hoje eles estão juntos. Garibaldi tentou voltar ao governo do estado em 2006 com o apoio de Agripino, mas foi derrotado pela governadora Vilma de Faria. Em 2010, os três disputarão duas vagas no Senado da República. Vilma, com o apoio de Lula.
O fato é que Lina Vieira, segundo Altino Medeiros, teve dois contatos com José Agripino antes de depor na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Quem sabe, para combinar o jogo. Se foi mesmo para isto, não fizeram direito. Como já disse aqui, Lina é a falsa musa da oposição.

Veja e suas previsões

No dia 2 de maio de 2001, a revista Veja chegou às bancas com a matéria "O efeito da popularidade". "A imagem desgastada não impede que FHC emplaque seu candidato no topo da corrida de 2002", dizia o sutiã da matéria.
Naquela época o instituto Sensus dava a avaliação positiva do Efeagacê em 29,7% e apenas 15% dos eleitores diziam-se dispostos a votar no candidato indicado pelo então presidente, segundo estudo realizado pelo próprio PSDB.
Trecho da matéria de Veja:
"Pesquisas de opinião, lembra o diretor do Ibope, Carlos Augusto Montenegro (grifo meu), são o retrato de um dia. Ou seja, o que se vê hoje pode desaparecer amanhã. (...) Mas sabe-se que sua posição (a da popularidade de Efeagacê) vai dar a medida da influência de FHC na próxima eleição. A respeito disso, existe uma idéia que se vem tornando consensual sobre a sucessão de 2002. Salvo um desastre de qualquer natureza, diferentemente do que parece, quem quer que seja o candidato apoiado por FHC em 2002 s…

Ao gosto de cada um

Marina Silva abandona o barco num momento de crise pra ir pro partido do Zequinha Sarney e do Gabeira;Eduardo Suplicy, que não vota no conselho de ética, pediu a palavra só pra dizer que se pudesse votar iria contra a determinação do partido;Flávio Arns tem vergonha do PT.Pra imprensa, petista bom é petista assim.

Gil pra Marina no PV: "ob, observando hipócritas"

Texto daqueles que eu leio e penso: "Queria tê-lo escrito".
Por Rodrigo Vianna


"Dizem que o Gilberto Gil (que foi um grande Ministro da Cultura) pode ser o vice de Marina Silva no PV.

Desde que ouvi essa história, não sei por que, uma música genial de Gil não me sai da cabeça:
"Não Chores Mais"

(...)Ob... observando hipócritas
Disfarçados, rondando ao redor
Amigos presos, amigos sumindo assim, pra nunca mais
Nas recordações retratos de um mal em sí
Melhor é deixar pra tráz
Não, não chores mais... não, não chores mais

A UDN do Leblon está em festa. O PV do Rio (com Sirkis aliado do DEM, e Gabeira aliado do FHC) já avisou que a Marina será sublegenda do Serra.

Serra, como se sabe, é um homem preocupado com verde. Só isso explica que tenha colocado Marcio Fortes numa estatal paulista. É o homem dos verdes.

Mas os hipócritas não estão só entre os tucanos, demos e colunistas de jornal - que agora "descobriram" a importância do "desenvolvimento sustentável"…

Lina Vieira, a falsa musa da oposição

Essa história da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira parecia perfeita para a oposição. Uma demissionária acusa de uma vez só a candidata presidencial do governo e o acusado-geral da União, José Sarney.

Porém, assisto agora o depoimento da ex-leoa na Comissão de Constituição e Justiça, que não tem competência para tomar este depoimento, e o que ela diz?


A ministra me disse pra agilizar e eu interpretei encerrar;Não fui pressionada pela ministra;A justiça também pediu para que o processo fosse agilizado.Isto se o encontro não comprovado tiver realmente acontecido.
Assim jaz um escândalo.
Foto: Agência Brasil

A quem interessa, Marina?

Eu apoio a candidatura da senadora Marina Silva à presidência da República pelo PT. Pelo PV, nem a pau.

Marina, que constriu o PT e a CUT agora vai virar aliada de José Agripino, Zé Arruda, Zé Serra, Kassab... sim, porque o PV, pelo menos, é aliado de todos eles. É um partido que não tem nada de ambientalista, é órgão auxiliar dos projetos da direita brasileira, um PPS menor ainda.

Por que estaria recebendo tanto apoio, torcida e espaço da mídia se não fosse um golpe contra a esquerda?

Confirmando essa candidatura, será uma mancha numa belíssima trajetória política.


Quem errou primeiro?

O erro inicial não foi de Marina, mas do próprio PT. A partir do momento que o presidente Lula começou a sinalizar que seu nome preferido para a sucessão presidencial é o da ministra Dilma Rousseff o partido se recusou a debater outros nomes.

Marina Silva, Paulo Paim, Jaques Wagner, Tarso Genro... vários nomes foram ventilados e nenhum levado a sério.

Quando a mídia bajulava Collor

De Mino Carta, na Carta Capital:

"Pergunto aos meus botões se não seria o caso de Fernando Collor, o senador ex-presidente da República, reconsiderar suas apreciações negativas a respeito da mídia nativa. Advogado da causa de um colega da nossa Câmara dos Lordes, também ex-primeiro mandatário, o nunca assaz falado José Sarney de quem já foi desafeto, tem razões contingentes para suas atuais manifestações.

Não lhe caberia recordar, contudo, que a mídia nativa tanto se empenhou para guindá-lo ao trono vinte anos atrás? E quem cunhou, então, a definição “caçador de marajás”? A revista Veja, algo assim como a vanguarda de um sistema de comunicações que chegaria ao clímax com a manipulação do debate final entre Collor e Lula no estúdio global pelas mãos sagradas do nosso colega Roberto Marinho, hoje nome de um conjunto viário de São Paulo batizado pela ex-prefeita Marta Suplicy, petista da gema.

À época, a mídia foi muito além de generosa com Fernando Collor. Ou, diria ele, justa? Haverá…

Só agora?

PMDB deve sair do governo Yeda, diz Simon (Uol)

Segundo matéria do portal Uol, o senador Pedro Simon anunciou que o PMDB, que ele preside no Rio Grande do Sul, deverá deixar a base aliada do governo Yeda Crusius (PSDB).

Não sou gaúcho, nem nunca morei lá. Na verdade, nunca pisei em solo gaúcho, mas é de espantar a política dali.

Em 2006, o PMDB lançou o então governador Germano Rigotto à reeleição e ficou em terceiro lugar na disputa. Com aversão ao PT, apoiou Yeda Crusius no segundo turno, contra Olívio Dutra (PT).

Ali, sob as asas de Yeda, permaneceu durante todo este tempo, escândalo após escândalo, denúncia após denúncia, agora, que o Ministério Público Federal pediu o afastamento da governadora ao apresentar denúncia contra ela e outros políticos gaúcho, inclusive do PMDB, Pedro Simon acha melhor deixar o governo afundar sozinho.

Em 2010 estarão separados. Yeda, que não sabe se conclui este mandato, está em dúvida sobre tentar a reeleição ou não. O PMDB, por outro lado, discute lançar…

"Por favor, me poupem..."

Texto de Sônia Montenegro, tirado do Vi o Mundo.

"Sempre que eu argumento que a corrupção do PT, o chamado “mensalão” foi um caixa-2 para campanhas eleitorais, que aliás, diversos políticos já confessaram ter feito, como Arthur Virgílio (PSDB-AM), Roberto Brant (DEM-MG), Roberto Jefferson (PTB-RJ), etc. O último, o que denunciou o caixa-2 do PT, chamando de “mensalão”, já desafiou o plenário lotado, para que erguesse a mão aquele o parlamentar que nunca tivesse feito caixa-2 em campanha. Ninguém, absolutamente nenhum dos presentes a ergueu! A única diferença entre eles, é que quando é com o PT, a imprensa noticia com lente de aumento. Tudo fica mais grave e pior.

Aí vem a contestação: “Mas logo o PT, que empunhava a bandeira da ética?” Só que ninguém questiona a razão que levou o partido a ser identificado pela “bandeira da ética”. Obviamente, não foi apenas pelo discurso, porque nunca se viu um partido ou político afirmar que quer ser eleito para roubar, portanto, a razão que levo…