Pular para o conteúdo principal

Oportunista, Zé Reinaldo admite só agora seu apoio a Serra

Taí uma coisa que eu gosto: estar certo. 
Adoro quando alguém teima comigo e o tempo 
(ah, o tempo) prova que eu estava certo.


O ex-governador do Maranhão e candidato a senador recém derrotado José Reinaldo Tavares (PSB) concedeu entrevista na última sexta-feira para anunciar aquilo que até as estátuas dos leões em frente ao palácio do governo estadual já sabiam: ele apóia José Serra.


Zé Reinaldo é a personificação do anti-PT, do anti-Lula, do anti-Dilma e só não vê isso quem se deixa cegar pelos discursos demagogos daqueles que afirmam construir uma alternativa política utilizando-se dos mesmos métodos que dizem condenar.


Com o mesmo oportunismo de quem viveu mais de trinta anos dentro de um grupo político e hoje se diz o maior opositor aos antigos companheiros, Zé Reinaldo tentou esconder durante o primeiro turno sua predileção por Serra. Candidato ao Senado, sabia que declarar apoio ao tucano só lhe tiraria voto. Tavares tentou omitir do eleitor sua verdadeira face, mas o povo maranhense lembra quem ele é e lhe deu o troco nas urnas.

Os maranhenses, que deram 70% dos votos para Dilma Rousseff, sabiam que, se eleito, Zé Reinaldo iria para o Senador fazer oposição ao governo petista. Os únicos que não sabiam disso, ou fingiam não saber, eram o deputado "petista" Domingos Dutra e sua trupe. Escondidos atrás do discurso do anti-sarneysmo, Dutra, Bira do Pindaré e outros defenderam com unhas e dentes a candidatura de Tavares "por ele ter rompido com Sarney", ou seja, apoiaram uma candidatura a senador de oposição a Dilma para manter o discurso anti-sarney, o único que eles têm e que lhes mantêm alguma relevância política..


Como Jackson, Zé Reinaldo taxa Flávio Dino de sarneista


Ao tentar justificar seu voto em Serra, Zé Reinaldo encheu o peito e declarou durante a entrevista: "Votar em Dilma é votar em Sarney". Ora, mas seu pupilo candidato derrotado ao governo, Flávio Dino, apóia Dilma. Então Zé Reinaldo crê que Flávio Dino apóie José Sarney por votar em Dilma?


O ex-governador Jackson Lago (PDT), que anunciou seu apoio a José Serra desde o primeiro turno e ficou com mirrados 19% dos votos na tentativa de voltar ao Palácio dos Leões, também provocou o comunista ao justificar sua posição nacional com base no anti-sarneismo. “Como uma pessoa [Flávio Dino] quer combater este grupo [Sarney] fortalecendo-o nacionalmente?”, indagou em entrevista coletiva concedida após o primeiro turno.

Zé Reinaldo, principal motivo de Dino não ter o apoio do PT

A orelha de Zé Reinaldo devia estar queimando de tão quente durante a reunião do Diretório Nacional do PT que decidiu pelo acordo do partido com o PMDB na disputa pelo governo do Maranhão e em reuniões anteriores. A aliança de Flávio Dino com ele foi um dos principais argumentos daqueles que defendiam a anulação do encontro que decidira pelo apoio ao candidato comunista.

Sabedor de que Zé Reinaldo não passa de um tucano enrustido (há tantos no Maranhão), o próprio presidente nacional da legenda, José Eduardo Dutra, afirmou durante reunião. "Passei a tarde de ontem lendo o blog deste Zé Reinaldo. Não dá para o nosso partido apoiar quem escreve essas coisas" defendeu. Além de Eduardo Dutra, encaminharam contra o apoio do PT à dupla Zé Reinaldo-Flávio Dino os ex-presidentes José Dirceu, José Genoino e Ricardo Berzoini.

Resultado: PT longe de Zé Reinaldo e no caminho certo.

Comentários

Nada como a escola do PMDB para mostrar a esse pessoal qual tipo de política dá certo por aqui. (infelizmente)

Morro de rir quando vejo na propaganda do PT a afirmação de que possuem "maioria absoluta" no Congresso e que será difícil outro governar. Essa "maioria" é dada pelo PMDB que é governo desde o fim da ditadura até quando sequer lança candidato à presidência.

Assim, os outros partidos aprendem que o "quente" é jogar onde o poder estiver.

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…

Top 20 prefeituráveis de 2020

Com metade do mandato do prefeito Magno Bacelar superado as articulações para a sua sucessão devem começar a esquentar e o Blog do Braga traz a lista com os 20 nomes mais cogitados para enfrentar a disputa municipal de 2020.
É possível que outros nomes sejam discutidos até as convenções do ano que e o mais provável é que três ou quatro sejam registrados pelos partidos políticos, mas os nomes mais especulados nas rodas de conversa da cidade e pelo grupos políticos locais até aqui são os seguintes:
Magno Bacelar: Apesar das três condenações com trânsito em julgado no Tribunal de Contas da União (TCU), não dá para deixar de considerar o nome do prefeito que está no cargo, principalmente considerando sua capacidade de se livrar de problemas jurídicos. Dificilmente conseguirá desfazer o atual desgaste do seu governo, mas tem a marca de ter sido o único prefeito reeleito de Chapadinha, em 2004.
Danubia Carneiro: Primeira-dama, ex-prefeita e secretária de Assistência Social. Parece mais inter…