Pular para o conteúdo principal

REPATRIAÇÂO: ABONO OU SAÚDE?

Prefeito eleito diz que honrará
compromisso com o povo
O bloqueio judicial dos recursos que chegaram a Chapadinha consequentes da repatriação feita pelo governo federal deixará com o governo Magno Bacelar a decisão de onde e como aplicá-los. 

A prefeita Belezinha, que recebeu quase R$ 5 milhões de complementação do Fundeb em dezembro, chegou a anunciar que usaria a repatriação para pagar abono, mas a Justiça lhe tirou esse poder.

O prefeito eleito, Dr Magno Bacelar, comemora a decisão e põe em dúvida as verdadeiras intenções da prefeita com o anúncio fora de tempo. "Ela teve quatro anos para pagar abono aos servidores e nunca pagou. Agora quer inventar essa história com recursos que serão administrados pela nova gestão? Porque ela sabe que isso não existe", questionou o prefeito em conversa telefônica com o Blogue.

Com relação ao destino dos recursos, Magno garante que avaliará com sua equipe de governo e com o povo de Chapadinha como proceder. "Nós vamos assumir sem sabermos a realidade financeira do município. O caos da saúde, por exemplo, não pode ser ignorado. Não é mais importante salvar vidas?", disse o prefeito lembrando ainda que uma das primeiras ações de Belezinha foi fechar dois hospitais e ele se comprometeu com o povo de Chapadinha em reverter essa decisão, segundo ele, desastrosa. 

Servidores públicos

A valorização dos servidores públicos, segundo Magno, é uma marca de todas as suas administrações e ele garante que tratará a categoria com o respeito que ela merece. "Vamos pagar abono quando for possível, mas a prefeita precisa entender que não é mais competência dela administrar esses recursos", disse se referindo à repatriação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…

Mais um empresário se prepara para disputar a Prefeitura

Está difícil manter a contagem de quantos pré-candidatos ao cargo de prefeito de Chapadinha já estão no páreo. Hoje pela manhã foi a vez do empresário Nenezão se filiar ao Partido dos Trabalhadores (PT) se colocando a disposição da legenda para a disputa.
A informação é do presidente do Diretório Municipal, o ex-vereador Manim Lopes, que acredita que uma candidatura própria é o melhor caminho para o partido voltar a ter representatividade local.