Pular para o conteúdo principal

Iluminação pública: mais um ano na escuridão?



No final do ano passado muito se discutia sobre a iluminação das ruas de Chapadinha. Com oito anos sem atualização da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) e seguidos reajustes no preço pago pela Prefeitura à Cemar pelo serviço, o município perdeu a capacidade de investimento e manutenção da rede.

Com ruas escuras em todos os bairros, o poder executivo municipal tentou até o último dia do ano aprovar na Câmara Municipal proposta de atualização que repunha a perda do período sem reajuste, mas forte reação nas redes sociais fez os vereadores sinalizarem que rejeitariam o projeto e ele foi retirado de pauta para que pudesse ser melhor discutido durante 2018 e entrasse em vigor em 2019.

Nós já estamos em novembro e até agora não houve discussão pública sobre o assunto, que é de interesse de todos. O valor do consumo dos pontos de iluminação pública permanece maior do que aquilo que é arrecadado pela Cemar nas nossas contas mensais. Ao invés de repassar para a Prefeitura o valor que sobraria do consumo, os cofres públicos estão tendo que pagar o déficit todos os meses com recursos que poderiam estar sendo destinados para a saúde, a educação ou a outras áreas da infraestrutura do municípios. Não dá mais pra continuar assim.

Medidas impopulares como ajuste da CIP devem ser tomadas no início do mandato, quando o prefeito ainda tem capital político para aguardar os bons resultados que veem delas, mas quanto mais demorar para tomar uma atitude mais dura ela terá que ser e, portanto, precisa ser agora. Nem histeria em rede social nem demagogia da oposição que apresentou o atual código tributário quando estava no governo podem ser a bússola da gestão.

Inelegível pelas três condenações transitadas em julgado no Tribunal de Contas da União (TCU), o prefeito Magno Bacelar tem a liberdade de fazer o que precisa ser feito sem pensar nas consequências eleitorais da sua atuação.

Mesmo se a simples duplicação dos valores da CIP tiver a aprovação inviabilizada, Executivo e Legislativo precisam encontrar juntos a saída para esta armadilha. Seja com diferentes reajustes para diferentes faixas de consumo, cobrança percentual no valor consumido, etc. Todas as opções devem ser jurídica e politicamente estudadas, menos nós continuarmos no escuro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…

Mais um empresário se prepara para disputar a Prefeitura

Está difícil manter a contagem de quantos pré-candidatos ao cargo de prefeito de Chapadinha já estão no páreo. Hoje pela manhã foi a vez do empresário Nenezão se filiar ao Partido dos Trabalhadores (PT) se colocando a disposição da legenda para a disputa.
A informação é do presidente do Diretório Municipal, o ex-vereador Manim Lopes, que acredita que uma candidatura própria é o melhor caminho para o partido voltar a ter representatividade local.