Pular para o conteúdo principal

O melhor e o pior prefeito



Quem viveu em Chapadinha o alvorecer do século XXI se impressionou com a mudança trazida pelas gestões do Dr Magno Bacelar. Do atraso para o pagamento adiantado, avenidas recebiam asfalto pela primeira vez depois de décadas, de quatro professores graduados a rede municipal de ensino pulou para mais trezentos com apenas um convênio entre a Prefeitura e a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), postos de saúde eram inaugurados em diferentes bairros e o atendimento hospitalar era satisfatório. Foram oito anos tão bem administrados que ele conseguiu fazer como sua sucessora a ex-vereadora Danubia Carneiro, que era muito rejeitada na época.

Então como é possível que este mesmo cidadão lidere hoje uma administração tão rejeitada no mesmo município onde antes ele era cogitado até para disputar o governo do estado? Por que até os servidores públicos tão priorizados voltam a ver salários sendo atrasados. O que foi que mudou?


Simples: “É a economia, estúpido”. Magno governou oito anos consecutivos com fortes aumentos do Fundo de Participação do Município num país que crescia espantando os olhos do mundo. No seu primeiro ano de gestão Magno teve um FPM 15,06% maior do que aquele do ultimo ano do seu antecessor. Os anos seguintes foram sempre de crescimento. Respectivamente 22,42%, 6,17%, 11,49%, 25,53%, 11,08%, 23,99% e 12,96%. De R$ 5 milhões em 2000, o FPM de Chapadinha saltou para R$ 16,4 milhões em 2008.

Danúbia estreou com queda 4,63% e teve crescimentos de 7,15%, 28,83% e 3,01% nos anos seguintes. Belezinha só conheceu aumento no FPM em todos os seus anos: 7,28%, 8,32%, 5,93% e 16,15%. Já Magno voltou com queda 3,61% em 2017 e crescimento de 2,89% em 2018, menor que a inflação de 3,59% acumulada no ano.


Em resumo, Magno não é o gênio da administração pública que parecia nos seus dois primeiros mandatos, nem a catástrofe que parece ser agora. É apenas um prefeito normal, que governa bem quando tem mais recursos e governa mal quando tem menos recursos.

Todos os dados apresentados neste texto foram recolhidos por mim no Demonstrativo Financeiro do Bando do Brasil. Quem quiser pode tentar desmentir qualquer informação neste link. Pode também tentar desmentir que o município ficou engessado com a convocação de mais concursados pela ex-prefeita depois dela ter perdido a eleição em 2016, ou que aumentaram substancialmente os preços da energia elétrica e dos combustíveis, produtos que impactam severamente as despesas de um ente com centenas de imóveis e grande frota de veículos.

O cidadão chapadinhense pode perceber que o município já conta com quase duas dezenas de pré-candidatos à Prefeitura e nenhum deles está criticando publicamente o prefeito pelo atraso dos salários. Porque eles sabem o que aguarda a qualquer um que lograr êxito nas urnas em 2020: Um município inviabilizado financeiramente.

Duvide de quem prometer saída fácil para a crise que o município vive e espere para ver se alguém poderá se eleger assim e não se desmoralizar logo depois.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

Mais um empresário se prepara para disputar a Prefeitura

Está difícil manter a contagem de quantos pré-candidatos ao cargo de prefeito de Chapadinha já estão no páreo. Hoje pela manhã foi a vez do empresário Nenezão se filiar ao Partido dos Trabalhadores (PT) se colocando a disposição da legenda para a disputa.
A informação é do presidente do Diretório Municipal, o ex-vereador Manim Lopes, que acredita que uma candidatura própria é o melhor caminho para o partido voltar a ter representatividade local.