Pular para o conteúdo principal

Requerimento Informação e Convocação De Secretário Votados Na Câmara



Os vereadores Nonato Baleco e Junior Carneiro subiram à tribuna da Câmara Municipal para tratar da polêmica que os envolveu com o secretário de Cultura Djonnes Lima, presente na galeria da Casa durante os discursos.

Primeiro a falar, Junior Carneiro afirmou que antes de vereador é cidadão e tem o direito de se manifestar. Segundo o parlamentar, a publicação que iniciou a briga era uma defesa da decisão do governo de não investir volume relevante de recursos públicos na realização do carnaval e priorizar a saúde pública.

Contra as críticas recebidas em áudios do secretário, o vereador fez um levantamento das ações realizadas por ele no mandato, inclusive a apresentação do “Projeto Prata da Casa”, que obriga a Prefeitura a contratar artistas locais nos eventos culturais realizados no município.

O Nonato Baleco subiu à tribuna em seguida e reafirmou a defesa do vereador Junior Carneiro e a confiança que ele não forneceu para a Prefeitura. A maior prova disso seria que ele votou favoravelmente ao requerimento de informação apresentado pela oposição e aprovado por unanimidade para obter as licitações dos eventos realizados pela Secretaria de Cultura.

Apesar de afirmar a intenção de colocar um ponto final na briga, o líder do governo não deixou de criticar o secretário. Lembrou que o mesmo admitiu chantagear o prefeito para “receber dinheiro investido” sem esclarecer quanto e onde esse dinheiro teria sido investido e reafirmou que na sua opinião Edfarma não tem preparo profissional e emocional para o cargo, mas nem por isso iria pedir que o prefeito o exonerasse.

Requerimento de informação rejeitado
Requerimento de convocação apresentado pela vereadora Missicley Araújo para o secretário se pronunciar na Câmara esclarecendo os fatos relacionados à discussão pública foi rejeitado por 7 a 6.

Além de MIssicley votaram favoravelmente os vereadores Alberto Carlos, Licinha Cardozo, Nildinha Teles, Tote, Neto Pontes. Votaram contra os vereadores Junior Carneiro, Nonato, Marcely Gomes, Marcelo Menezes, Luis Barbeiro, Netinho Gedeão e Marcelo Aguiar. O vereador Itamar Macedo não estava presente e a presidente Professora Vera não votou em respeito ao Regimento Interno.

O secretário Edfarma reagiu à rejeição da sua convocação em rede social dizendo que era “uma vergonha...” e deu a entender que a confusão ainda não acabou ao afirmar que o vereador Junior Carneiro ainda terá de dar explicações sobre áudios que ele teria guardado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

Mais um empresário se prepara para disputar a Prefeitura

Está difícil manter a contagem de quantos pré-candidatos ao cargo de prefeito de Chapadinha já estão no páreo. Hoje pela manhã foi a vez do empresário Nenezão se filiar ao Partido dos Trabalhadores (PT) se colocando a disposição da legenda para a disputa.
A informação é do presidente do Diretório Municipal, o ex-vereador Manim Lopes, que acredita que uma candidatura própria é o melhor caminho para o partido voltar a ter representatividade local.