Pular para o conteúdo principal

Texto anônimo ataca presidente Vera, que desmente acusações


Causei polêmica ao lembrar Umberto Eco, que criticou as redes sociais por dar voz a imbecis, mas ela também facilitou a vida de quem busca espalhar mentiras sem mostrar o próprio rosto.

Foi criada uma conta anônima no Facebook para contar a seguinte história: A presidente da Câmara de Chapadinha estaria fornecendo para a Prefeitura por meio de laranjas. Vamos aos fatos.

Família comerciante
Além de vereadora e professora aposentada, a presidente Vera é comerciante. Já teve restaurante, verdurão, já vendeu bolo e há muito tempo vende frango num ponto comercial próximo ao Mercado Municipal. Ela forneceu para a Prefeitura no governo Belezinha com a única empresa de sua propriedade: N. A. Aguiar – Comércio – ME e nunca concorreu a licitações enquanto vereadora por impedimento legal.

Desde cedo ela ensinou o mesmo ofício aos seus filhos, que possuem as próprias empresas. Manoel Batista Aguiar trabalha com abatimento de frango e já forneceu para várias prefeituras do Baixo Parnaíba, inclusive de Chapadinha, desde a administração da prefeita Danubia Carneiro (2009-2012), quando Vera compunha a oposição ao governo. Já Lorena Aguiar foi uma das fornecedoras de material de expediente no governo Belezinha e hoje tem uma loja de piscinas em Chapadinha com filiais em São Luís e em Parnaíba.

Informações falsas
A matéria anônima afirma que “a empresa E. L. Sena & cia ltda, é uma das principais abastecedoras do hospital municipal e parte da merenda da educação e também própria câmara municipal de chapadinha”. Por desleixo ou má intenção, o autor ignora que a tal empresa foi encerrada em abril deste ano, como comprovado na imagem abaixo, não sendo possível que ela forneça atualmente para a Prefeitura.


Também não é verdade que esta empresa forneça para a Câmara Municipal e isto pode ser constatado numa simples pesquisa no Portal da Transparência da Casa e na base oficial de dados do Tribunal de Contas do Estado neste link. Na imagem abaixo segue a relação completa dos contratos da Câmara Municipal no ano de 2019.


Outro lado
Procurada pelo Blog a presidente Vera reafirmou sua tranquilidade e disse que acionará na Justiça os responsáveis pela publicação. “Eu sei de onde partem esses ataques e sei que eles vão aumentar com a aproximação da eleição, mas estou muito tranquila. Forneci para a Prefeitura antes de ser vereadora, tudo dentro da lei. Hoje meu comércio se mantém só com os clientes que eu conquistei com muito esforço e trabalho. Meu filho saiu de casa com 20 anos, trabalha em várias cidades desde muito novo. Vão precisar mais do que isso para me desestabilizar”, afirmou a presidente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…