Pular para o conteúdo principal

O Jogo Agora É Outro



A decisão monocrática do ministro Roberto Barroso, que absolveu a ex-prefeita Ducilene Belezinha da acusação de compra de votos, ainda pode ser revertida no plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas as consequências políticas já são sentidas na cidade.

Aquela ruma de pré-candidatos que apostava num cenário arejado, sem Belezinha e sem Magno, já não demonstra empolgação em ficar no meio da “nega” que eles devem disputar no ano que vem (como candidatos ou cabos eleitorais)

Ela o derrotou em 2012, ele empatou em 2016 e ninguém parece ter força para evitar uma nova polarização. Nos casos anteriores, a vitória foi de quem estava fora do poder. Ele teve a maior derrota em número de votos (5.361) e ela teve o menor percentual de votos de um candidato a reeleição já recebeu em Chapadinha (38,7%).

Pela lógica, a favorita é Belezinha. Em 2018 ela se tornou a candidata a deputada estadual mais bem votada da história do município (12.403 votos) e conta com a rejeição do governo atual para ajudar as pessoas a esquecerem os motivos que a fizeram ser escorraçada da Prefeitura.

Por outro lado, Magno não está morto. Ele foi o único prefeito que já conseguiu se reeleger por aqui (em 2004) e, com a máquina na mão, é quem tem condições de enfrentá-la. Para isso, contudo, ele terá três tarefas vitais que se interlaçam: Governar, informar e unir.

O primeiro é mais fácil. Mesmo quem faz oposição tem dificuldade de dizer que o governo não tem trabalhado. A Maternidade era principal promessa de campanha e foi inaugurada com 3 meses de gestão, UPA reaberta com recurso próprio, muito asfalto em vários bairros, rodoviária e Hapa com ótimas reformas. Se parte do recurso da cessão onerosa for destinada para resolver o problema da iluminação pública, a gestão pode reverter o desgaste acumulado.

Só que Belezinha tinha uma gestão bem avaliada e foi derrotada pela rejeição pessoal que acumulou. Para evitar o mesmo fenômeno, Magno precisa usar o carisma pessoal que tem para se comunicar com o povo de maneira eficiente e profissional, mas só conseguirá fazer isso se parar de tratar a Secretária de Comunicação como a Secretaria de Saúde era tratada no governo Danubia.

Por fim: o prefeito precisará reunificar a ampla coligação que o elegeu em 2016, depois de ter passado o governo todo descumprindo os acordos com os principais aliados. Mas este é um desafio tão difícil que tratarei dele em texto específico.

Olhando de hoje, parece que em janeiro de 2021 teremos funil de volta: filha de prefeita na folha de pagamento, empresa da família fornecendo para a Prefeitura, traições, vinganças e perseguição para todo lado. Não me espantaria se Magno voltasse como salvador em 2024, e Belezinha em 2028, e Magno em 2032, e Belezinha em 2036...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor de Chapadinha vai a Itapecuru prestar depoimento

O assassinato do empresário Pedro Lopes Fontenelle, em Vargem Grande, ainda é um mistério. Para ajudar a solucionar o caso o pastor Elias Lima, presidente da Assembleia de Deus em Chapadinha, se dirigiu à Delegacia de Itapecuru-Mirim na manhã desta terça-feira (02) para prestar depoimento.
O crime aconteceu na última quarta-feira (27) às margens da BR-222, em frente a uma propriedade que o pastor havia vendido para o empresário. O empresário foi executado com dois tiros e não levaram nada dele.
Segundo um genro do pastor, o irmão Ezequiel Douglas, ele não recebeu qualquer intimação para comparecer ao distrito policial que investiga o caso e se dirigiu de forma espontânea. “Como ninguém sabe quem são os autores nem a motivação do crime, cabe todos que tiveram algum contato recente com a vítima munir as autoridades policiais com toda informação que possa ajudar a solucionar o caso”, afirmou ao blog.
Pedro Lopes Fontenelle tinha 46 anos e atuava no ramo frigorífico em Vargem Grande.

Não Chamem Pra Mesma Mesa o Prefeito e o Cunhado Vereador

A confusão começou numa comemoração de família. Os dois conversavam com o nível etílico um pouco acima do recomendado quando o parlamentar externou suas preocupações com o rumo do governo e o prefeito reagiu contrariado quando ouviu o irmão da primeira-dama lhe dizer que se a eleição fosse hoje ele seria derrotado.
O problema aumentou durante uma recente posse de secretários no gabinete do prefeito. Parecia que ele já estava concluindo mais um dos seus longos discursos quando olhou o vereador entre os presentes e relembrou o diálogo afirmando não levar a sério o diagnóstico. Constrangendo o parlamentar, o prefeito disse que aquilo era conversa de quem estava com algo cheio de cachaça.
O vereador, é claro, não escondeu a contrariedade com a conversa, que havia acontecido em âmbito privado, ser tratada publicamente e principalmente com os termos que o prefeito usou na frente de outros parlamentares e membros da equipe de governo.
Pra piorar, ao saber das reclamações do vereador, o pre…

Mais um empresário se prepara para disputar a Prefeitura

Está difícil manter a contagem de quantos pré-candidatos ao cargo de prefeito de Chapadinha já estão no páreo. Hoje pela manhã foi a vez do empresário Nenezão se filiar ao Partido dos Trabalhadores (PT) se colocando a disposição da legenda para a disputa.
A informação é do presidente do Diretório Municipal, o ex-vereador Manim Lopes, que acredita que uma candidatura própria é o melhor caminho para o partido voltar a ter representatividade local.